domingo, dezembro 31, 2006

2007 !!!


"Ano Velho,
Nunca mais veremos.
Ano novo,
Logo receberemos....." Virgilio Peixoto

Em Nova Iorque, o relógio de Times Square anuncia a hora dos abraços e gritos. Em Londres, são as badaladas do Big-Ben. Em Paris, fogos de artifícios, na Torre Effel. No Rio, os adeptos de Iemanjá jogam flores no mar.

É meia-noite no mundo, noite de 31 de dezembro. E, respeitadas as diferenças de fuso horário, promessas são feitas, desejos pensados, mal-entendidos superados. Momento mágico em que queremos acreditar que a mudança da folhinha no calendário pode mudar nossa vida

Se as superstições dão resultados ou não, não importa.


A gente quer mais é começar o ano com o pé direito e, por pé direito, entenda-se muita festa e alegria.

Mesa farta, música, amigos e parentes por perto, cada um de nós faz pequenas "mágicas" para garantir que o ano seja perfeito. Mas qual a explicação para tudo ISSO? Será que existe alguma origem para se acreditar na superstição? (TAVANO,89).

Finalmente, o Reveillon - (Acordar) - Pobres e ricos confraternizando a chegada do Ano Novo. Oferendas a Iemanjá são feitas em grande parte do litoral brasileiro.


O certo é esperar pelo banho de champanhe, ou banho de mar e acordar para o Ano Novo.

Em tempo de festa, não há crise, "pode me faltar tudo na vida, /arroz, feijão e pão,/ pode me faltar o amor/... só não quero que me falte a danada da cachaça". Eis o retrato da festa.


Feliz Ano 2007!

domingo, dezembro 24, 2006

Natal e a simbologia Cristã

Os simbolos do natal à luz do Cristianismo:

PINHEIRO - Deus afirma que Ele é como o "cipreste" que mantém suas folhas sempre verdes (Os 14.8). Mesmo diante da falta de esperança, da seca ou do inverno, Deus faz nascer o verde de uma nova esperança (Is 11.1, 53.2; Jr 33.15). O pinheiro conserva suas folhas verdes, mesmo no rigor do inverno. Como árvore de Natal é citado na Europa, pela primeira vez, em 1539 e difundiu-se a partir do séc. XIX. O costume europeu tornou-se uma referência, não obstante as diferenças culturais e climáticas.

ESTRELA(S) - Enfeita-se o pinheirinho com estrelas ou então se fazem estrelas de papel de cores variadas ou papel transparente. A estrela de Natal tem um papel determinante na história, pois indica o caminho para os magos (Mt 2.2). A estrela tornou-se o símbolo do extraordinário que aconteceu naquela noite. A estrela aponta para o local do nascimento do menino Jesus e aponta para a plenitude de vida que representa esta vinda de Deus ao mundo em Cristo.

VELA(S) - A vela simboliza a luz que veio ao mundo com o nascimento de Cristo, como lemos no profeta Isaías 9.1: "O povo que andava na escuridão, viu uma forte luz; a luz brilhou sobre os que viviam nas trevas". Consumindo-se completamente para gerar luz, a vela simboliza a doação em favor da vida. Mesmo com toda a iluminação artificial, a vela conserva seu valor.

PRESENTE(S) - A idéia de trocar presentes no Natal está relacionada, entre outros motivos, aos magos que trouxeram presentes para o menino Jesus (Mt 2.11). A troca de presentes entre as pessoas é uma forma de lembrar que a oferta generosa de Deus em Cristo é para todos. O simbolismo do presente não é que, egoisticamente, acumulemos um monte de presentes ou presenteemos com segundas intenções. O simbolismo do presente é a partilha que permite que pessoas excluídas tenham acesso à vida boa e abundante que Cristo trouxe para todos. Presentear o necessitado é abrir as portas para o Senhor nascer!

COROA DE ADVENTO - ADVENTO quer dizer tempo da chegada. O que era esperado se aproxima, está para acontecer, chegou a hora de se concretizar.
Cada domingo de advento acende-se uma vela na coroa e corresponde a:
1ª vela: os profetas do AT que falaram da vinda e profetizaram o seu nascimento;
2ª vela: João Batista, o último dos profetas, que preparou o caminho para Jesus;
3ª vela: Jesus Cristo virá para julgar os vivos e os mortos e edificar o seu reino;
4ª vela: Deus está em nosso meio sempre que ouvimos a sua palavra.
A COROA simboliza o facto de Jesus ser Rei.
Os RAMOS VERDES lembram a eternidade de Deus.

Desejos de um feliz Natal!

sábado, dezembro 23, 2006

Ritos celtas no SoLsticio de Inverno


Os celtas sempre festejaram o solsticio assim no de Inverno tinham a festa Yule.

A Festa de Yule , celebrada (de 20 a 23 de dezembro) no solsticio de inverno, na noite mais longa do ano serve para convocar o fim da obscuridade e o retorno da luz e da esperança.

A partir de Yule, os dias crescem e dão lugar ao novo ciclo. Nesta festividade acendiam grandes fogueiras e velas para dar força ao sol e ajuda-lo a sair rompendo a longa obscuridade.

Alban Arthan ou o renascimento Celta do Sol, no dia mais curto do ano , também é considerado o dia do balanço da lua.

Nestas festividades faziam-se árvores de natal, enfeitavam-se com adornos de azevinho e queimavam incensos de pinheiro, de cedro e de sandalo

Desejos de bom yule!

Foto: pormenor de pôr de sol, dezembro 06 praia de Santa Maria -ilha do Sal-Cabo Verde

sábado, dezembro 02, 2006

Luzes no mar!

A paixão que eu tenho por estes cambiantes de luz ... já vem da infancia!!

Bom fim de semana!
Foto: praia do Abano (Cascais) 2006